cro

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

[Filme] O Menino e o Mundo, de Alê Abreu


Título Original: O Menino e o Mundo
Realização: Alê Abreu
Argumento: Alê Abreu
Elenco Principal: Vinicius Garcia, Marco Aurélio Campos, Lu Horta
Ano: 2015 | Duração: 80 mins
Sinopse:
Sofrendo com a falta do pai, um menino deixa sua aldeia e descobre um mundo fantástico dominado por máquinas-bichos e estranhos seres. Uma inusitada animação com várias técnicas artísticas que retrata as questões do mundo moderno através do olhar de uma criança.

Opinião:
As coisas maravilhosas que se conhecem ao ver a lista de nomeados para os Óscares… O Menino e o Mundo é uma dessas pérolas fantásticas. A primeira surpresa foi quando descobri que se tratava de uma animação brasileira dentro do leque de Melhor Animação. Depois, foi a sua extraordinária estória, simplicidade e pureza.

O Menino e o Mundo é facilmente resumido como simples, puro e ingénuo, contando a estória pela perspectiva de uma criança que vai descobrir o mundo por sentir a ausência do pai, mas há tanto mais a descobrir. Um filme extraordinário que não precisa de diálogos para uma mostrar uma estória tão bonita e sentida. Um tipo de animação muito particular, onde várias técnicas se juntam para criar uma obra singular e surreal: colagem que se junta ao desenho manual e outras tantas técnicas, acentuando a desigualdade das personagens e espaços.

Alê Abreu conseguiu criar o equilíbrio perfeito no ritmo deste filme: existem momentos mais lentos, mas há também aqueles momentos velozes e tão complexos que nos custa a acompanhar. E essa é parte da beleza deste filme. Mostrar o mundo frenético pelos olhos da criança; os bichos mecânicos que tomam o lugar dos homens e das mulheres - criaturas assustadoras, maquinais, sem identidade. Em contraste a estes momentos pesados, escuros e mortiços, há explosões de cores, felicidade e ritmos extraordinários.

O Menino e o Mundo foi uma agradável surpresa que irá ficar no meu coração para sempre. Um filme extraordinário que merece a nomeação teve. Um filme bem mais complexo do que aparenta e digno de ser visto e revisto.




Sem comentários:

Enviar um comentário

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.