cro

sábado, 9 de janeiro de 2016

[Entrevista] Peter Koevari, autor da trilogia "Legends of Marithia"


 Ler em Português      Read in English


Olá gente gira e fofa!

Hoje temos uma nova entrevista para partilhar com vocês, e nós estamos incrivelmente contentes em anunciar o nosso entrevistado: PETER KOEVARI, autor da trilogia Legends of Marithia. Podem encontrar aqui as críticas da Carla a estes livros. É uma trilogia extraordinária e tem, sem dúvida, o selo de aprovação do blog. 

Primeiro que tudo, queremos agradecer ao Peter Koevari por ter respondido às nossas questões, e por ser uma pessoa incrível e um extraordinário escritor. Foi uma surpresa incrível e a Carla adorou os seus livros. Sem dúvida um dos melhores livros que leu em 2015 (como podem ver no nosso post O melhor e pior de 2015). E agora, sem mais delongas, vamos à entrevista! :)


1) Não é um autor publicado em Portugal, mas nós queremos saber mais sobre si. Fale-nos um pouco sobre si.
Eu sou um autor Australiano, nascido e imigrado da Hungria quando ainda criança. Cresci com um amor à cultura pop, filmes, vídeo jogos e um bom livro. Estranhamente, ainda que adorasse escrever estórias na escola, só comecei a dedicar-me a isso mais tarde. Inglês era a disciplina que mais gostava no secundário, e continuei os meus estudos em informática, iniciando uma longa carreira à qual dedico maior parte do meu tempo, assim como a editar e escrever, ao mesmo tempo que tento manter a minha sanidade, balanceando a minha vida pessoal e o trabalho. Oh, quem é que eu estou a enganar? Eu perdi a minha sanidade há muito tempo, mas é com todas as vozes na minha cabeça que eu escrevo os meus livros.

2) O que o inspira e motiva a escrever?
Motiva-me uma paixão por contar estórias, mesmo que às vezes seja difícil, mas tudo o que vale a pena dá trabalho. Todo o tipo de coisas me motiva: sonhos, pessoas, lugares, música, cultura pop, basicamente qualquer coisa pode-me motivar. Uma coisa que me faz continuar a criar é o leitor. Os meus fãs são importantes para mim, e eu sou abençoado por tantas pessoas gostarem do meu trabalho.

3) Qual é o seu género literário favorito?
Sem qualquer dúvida, adoro fantasia e ficção científica acima de qualquer outra coisa. Acho que se deve ao facto de esses géneros se focarem em algo melhor que o mundo real e nos levarem para lugares longe do stress e das pressões do dia-a-dia, assim como adicionam alegria à nossa vida. Assim como a música e as artes criativas, as estórias são a prova que existe algo maior que nós, neste universo. Também tenho uma fraqueza por autobiografias.

4) Tem algum autor que veja como seu guia/ídolo/mentor?
A primeira autora que li foi Robin Hobb, e ela continua a inspirar-me até hoje. The Liveship Traders [sem edição em português] foi a minha primeira viagem ao mundo dos livros de fantasia, e se não foi incrível! Eu sempre adorei dragões, e Robin escreve-os tão bem. Na realidade, eu presto-lhe uma pequena homenagem na minha trilogia, para aqueles que estão familiarizados com o trabalho dela, conseguem ver esse piscar de olho. Muitas pessoas me têm guiado ao longo dos anos, e tendem a ser outros escritores, leitores-beta e editores.

5) Como é que o seu dia-a-dia influencia a sua escrita?
Pergunta interessante. Eu acho que tudo o que nos acontece nos influencia, mesmo que saibamos ou não. Partes mais negras da minha vida influenciaram várias partes dos meus livros, e eventos felizes fizeram o mesmo. Eu acho que estórias e personagens têm vida própria e ainda que possamos criar enredos, etc… nós nunca sabemos realmente como as coisas irão acontecer até que ao momento em que as escrevemos.

6) Como lhe surgiu a ideia para criar a trilogia Legends of Marithia?
Para aqueles que leram toda a trilogia, isto irá fazer um pouco mais de sentido quando lhes digo: Legends of Marithia nasceu de uma ideia do que pode parecer ser uma estória de fantasia simples e directa, mas que na realidade se deve tirar camada a camada até o leitor se encontrar atordoado pela verdade. O que mais adoro nas estórias são as surpresas e as reviravoltas, e eu sempre tive um amor particular por dragões e vampiros, por isso, trabalhei numa estória que juntasse esses mundos, entre outros, e criei uma viagem de dar a volta à cabeça.

7) Como foi criado o mundo de Marithia?
Foi criado ao longo do tempo. Eu sabia que havia várias coisas que tinham que estar lá, e alguns pormenores eram difusos, mas essa é a parte divertida de criar um mundo, podes expandir as tuas ideias a qualquer altura, desde que te mantenhas dentro das regras do teu mundo e o que é credível. Eu comecei por um enredo primário, personagens principais, armas, locais, criaturas e comecei a escrever. Tudo evoluiu a partir daí ao longo dos três livros da trilogia.

8) Está a desenvolver um jogo de cartas relacionado com Marithia. O que o levou a ter essa ideia?
Eu sempre gostei de jogos, desde vídeo jogos até jogos de cartas e de tabuleiro, e combinar duas coisas que adoro era quase uma certeza para mim. Ainda que actualmente não jogue muitos vídeo jogos, acho a criação do design de um jogo fascinante, e Legends of Marithia transforma-se bastante bem num jogo de cartas. Tenho estado a trabalhar num jogo de estratégia com várias cartas, mas actualmente estou mais interessando num jogo mais pequeno e mais rápido de se jogar. De momento estamos na fase do design.

9) Reconhece-se em alguma das personagens? Conte-nos sobre isso.
Para dizer a verdade, existe um pedaço de mim, de experiências, de pessoas que fazem parte da minha vida em Legends of Marithia. Eu posso dizer-vos que os meus filhos estão lá, assim como a minha mulher e alguns dos meus amigos. A atitude de Vartan e o estilo de luta é, na verdade, baseado num dos meus amigos que tem estado presente em grande parte da minha vida. Ele saberá quem é. Suponho que podem dizer que muitas das personagens principais são pedaços de mim e situações por que passei.

10) Tendo em conta todas as criaturas fantásticas que vivem em Marithia, qual delas gostaria de ser, e porquê?
Não há dúvida na minha resposta. Será sempre os dragões. Uma quase vida eterna, imenso poder e habilidade de me disfarçar do mundo é uma combinação fantástica. Seria uma existência magnífica e triste, vendo as pessoas que amas a desaparecerem, mas o conhecimento que irias adquirir seria incrível e eu assumiria que a minha mulher também seria um dragão comigo, por isso, não estaria sozinho.

11) Quanto tempo levou a escrever a trilogia Legends of Marithia?
Eu comecei a escrever Legends of Marithia por volta de 2006-2007, mas já tinha as ideias para esta estória muito antes. Além de que eu reescrevi os dois primeiros volumes de Legends [of Marithia] para os tornar melhores, quanto dançava de forma a manter a linha e a voz da estória original. Esses foram, possivelmente, os anos mais difíceis no que toca a escrita da minha carreira, e imagino que irão manter o título.

12) O que vem a seguir? Novas ideias para livros? Novos projectos?
Recentemente lancei Endless Worlds Anthology, que contem sete estórias de fantasia, ficção científica e terror…. uma delas sendo minha. O meu próximo livro será de ficção científica, e será algo realmente especial, por isso fiquem atentos! Para aqueles que leram o meu conto em Endless Words, irão ficar agradados em saber que esse conto é uma prequela do meu próximo livro. Obviamente que um dia irei voltar a Legends of Marithia, a estória irá continuar pela vingança, mas com uma perspectiva completamente nova.

13) Tem algum conselho para aqueles que também adoram escrever, tal como nós, e que um dia ambicionam tornarem-se escritores?
Eu poderia escrever um livro só de conselhos, mas eu também estou sempre a aprender e nunca irei parar. A primeira coisa que devem fazer é delinear bem a vossa estória e depois é escrever e terminar o manuscrito. A partir daí mais trabalho virá, e tenham a certeza que têm um bom editor e que estão abertxs a aceitar críticas, pois essa pode ser uma das mais complicadas barreiras que os escritores têm de ultrapassar. Escrevam sobre o que adoram, estejam preparados para que as coisas não sejam fáceis e nunca, mas mesmo nunca desistam ou oiçam os pessimistas. Acreditem em vocês proprixs e esforcem-se para serem o melhor que conseguem.

14) Como booknerds, temos que perguntar: qual é o livro que está a ler actualmente?
Na verdade, li parte de The Dragon Keeper, de Robin Hobb, e tenho uma lista bem longa de livros em espera para serem lidos. Mas primeiro tenho de terminar de editar um livro para um cliente que é bastante divertido e interessante. Uma das minhas personagens em Endless Words faz referência a esse livro. E também estou a meio de outros livros de fantasia, incluindo Game of Thrones.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.