cro

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

[Filme] As serviçais, de Tate Taylor


Título Original: The Help
Título em Português: As serviçais
Realização: Tate Taylor
Argumento: Tate Taylor (argumento), Kathryn Stockett (livro)
Elenco Principal: Emma Stone, Viola Davis, Octavia Spencer
Ano: 2011 | Duração: 146min

Sinopse:
Mississípi, EUA, década de 60. Acabada de terminar a faculdade, Skeeter (Emma Stone) decide ir contra as convenções e seguir o seu sonho em se tornar escritora. Quando, de regresso à sua cidade, se apercebe da súbita ausência de Constantine (Cicely Tyson), a governanta negra que a criou, pede ajuda a Aibileen (Viola Davis) e a Minny (Octavia Spencer), ambas governantas e amigas de Constantine. É desta maneira que, quase por acaso, nasce entre as três uma cumplicidade que resultará num projecto absolutamente inédito e que irá abalar, para sempre, aquela sociedade minada de preconceitos: um livro onde são contadas, na primeira pessoa, as histórias de mulheres que, apesar de criarem as crianças das famílias brancas como se fossem suas, são ostracizadas devido à cor da sua pele. Com argumento e realização de Tate Taylor, um drama sobre o preconceito, a amizade e a necessidade de mudança baseado no best-seller de sucesso mundial escrito, em 2009, por Kathryn Stpckett.

Opinião:
Há muito tempo que queria ver este filme, mas sempre quis ler o livro primeiro…o que acabou por não acontecer. Ainda o planeio ler, mas agora que já vi o filme será diferente. Este é o género de filme que mexe facilmente connosco – ou comigo, pelo menos.

Viola Davis foi a minha favorita, está fantástica aqui, assim como a Octavia Spencer e a Emma Stone. A história que liga estas mulheres é incrível. Duas empregadas negras que sofrem os maus tractos nas mãos de mulheres que as tratam praticamente abaixo de cão (se não mesmo) que ganham coragem para falar com uma rapariga de quem poderiam ter sido elas a cuidar, como amas. Tudo porque Skeeter Phelan (Emma Stone) amava – sim, amava - a sua querida ama que, para ela, fazia parte da família e merecia ser respeitada como tal, e acima de tudo como ser humano.

Há que dizer que adorei a relação entre Celia Foote (Jessica Chastain) e Minny Jackson (Octavia Spence), que a primeira visse em Minny apenas uma amiga que estava a trabalhar para ela, nada mais. Alguém em quem podia confiar para uma amizade, e acaba por ser Minny a dizer-lhe que deveria haver alguma separação entre “patroa” e empregada. A relação destas duas personagens e com o extra do marido de Celia, Johnny Foote (Mike Vogel) foi, sem dúvida, uma das minhas coisas favoritas. Ah, e gostaria de acrescentar que nunca mais voltei a olhar para uma tarde de chocolate da mesma maneira – e quem viu o filme saberá porquê.

É-me difícil escrever sobre filmes que mexem tanto comigo e me deixam indignada com o que o ser humano é capaz de fazer, a maldade e crueldade com que somos capazes agir uns com os outros... A esperança é que há seres humanos que lutam para que o mundo seja algo melhor, e este filme acaba por mostrar estes dois lados, com humor e seriedade, com uma qualidade de elenco e performances que nos deixam marcados.

Por fim, uma marca de Aibileen Clark (Viola Davis) deixada, pelo menos, à última criança de quem ela cuidou:
Algo que devemos ao máximo tentar ser e lembrar-mo-nos que o somos.


2 comentários:

  1. "nunca mais voltei a olhar para uma tarde de chocolate da mesma maneira" ahahaha como eu te entendo. Eu li o livro e gostei mais, porque cmo sempre, mudam algumas coisinhas, mas o filme tem atores fantásticos e fez-me gostar muito também.
    Beijinhos
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Jéssica! é uma daquelas piadas que só quem viu percebe :p
      Recomendas o livro, então? eu ainda não o arranjei, mas quero-o ler! :)

      Beijinhos :)

      Eliminar

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.