cro

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

[Filme] Mad Max: Fury Road, de George Miller


Título Original: Mad Max: Fury Road
Título em Português: Mad Max: Estrada da Fúria
Realização: George Miller
Argumento: George Miller, Brendan McCarthy & Nick Lathouris
Elenco Principal: Tom Hardy, Charlize Theron, Nicholas Hoult
Ano: 2015 | Duração: 120 mins
Sinopse:
Perseguido pelo seu turbulento passado, Mad Max acredita que a melhor forma de sobreviver é não depender de mais ninguém para além de si próprio. Ainda assim, acaba por se juntar a um grupo de rebeldes que atravessa a Wasteland, numa máquina de guerra conduzida por uma Imperatriz de elite, Furiosa. Este bando está em fuga de uma Cidadela tiranizada por Immortan Joe, a quem algo insubstituível foi roubado. Exasperado com a sua perda, o Senhor da Guerra reúne o seu letal gang e inicia uma impiedosa perseguição aos rebeldes e a mais implacável Guerra na Estrada de sempre.

Opinião:
Confesso que depois de ver o trailer de Mad Max a minha única vontade de ver o filme residia nos actores principais: Tom Hardy e Charlize Theron. Acabei por ver o filme porque está nomeado para os Óscares em 10 categorias, incluindo o Melhor Filme.


Fiz uma pequena e rápida pesquisa para escrever esta crítica e descobri que este filme faz parte de uma saga (coisa que já sabia antes de ver o filme, mas só por alto), tenho total desconhecimento em relação a jogos e filmes anteriores e acho que isso contribuiu para não gostar assim tanto do filme. Senti que tive dificuldade em relacionar-me com as personagens porque pouco ou nada é dito sobre elas – talvez numa possível ligação a coisas anteriores que eu não conheço.

Fora o facto de ser uma estória de sobrevivência e procura de redenção (o porquê foi algo que não entendi bem) pouco mais tem de enredo. Visualmente o filme é incrível, a cinematografia deste filme é estupenda e os efeitos visuais são do outro mundo.

Mas para mim o que mais contribuiu a favor deste filme é o papel da mulher. Não só elas são bonitas, mas longe de serem donzelas em apuros. São fortes, determinadas, capazes de fazer o que tem de ser feito. As mulheres (poucas em números) sobressaem num filme carregado de homens e isso, para mim, é extraordinário.


Resumindo: gostei, mas sinceramente achei que houve demasiada hype à volta do filme e influencia muito ter visto, ou não, os anteriores.



Sem comentários:

Enviar um comentário

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.