cro

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Especial Halloween | [Filme] The Conjuring, de James Wan



Título Original: The Conjuring
Título em Português: A Evocação
Realização: James Wan
Argumento: Chad Hayes, Carey Hayes
Elenco Principal: Patrick Wilson, Vera Farmiga, Ron Livingston
Ano: 2013 | Duração: 112min

Sinopse:
Baseado num caso real The Conjuring - A Evocação conta a emocionante história dos investigadores do paranormal Lorraine e Ed Warren (Vera Farmiga e Patrick Wilson), que ajudaram uma família que vivia aterrorizada por um espírito maligno na sua misteriosa e isolada quinta.

Opinião:
Quem me conhece sabe que um dos meus géneros cinematográficos favoritos é, precisamente, terror, mas consigo contar pelos dedos de uma mão os filmes que me fizeram ficar com medo – e ainda me sobram dedos. The Conjuring entra, definitivamente, para essa lista.

Eu gosto de filmes que mexam comigo – de todas as formas e feitios – e os filmes de terror, exploram os nossos medos, as nossas reacções, envolve uma descarga de adrenalina incrível – mas isto apenas se o filme for realmente bom. O que na maioria das vezes não acontece; pelo menos, não comigo.

The Conjuring começa por dizer que é baseado em factos reais – só por si, já cria uma aura diferente em relação as circunstancias do filme, mas convenhamos que ultimamente muitos dos filmes de terror dizem ser baseados em situações reais, no entanto, não existe aquele sentimento de terror; às vezes, são apenas ridículos e absurdos. Mas The Conjuring tem o poder de nos submergir de tal forma no filme e criar uma ligação com as personagens que o terror por que passam, nós também o sentimos.

Neste tipo de filme, talvez mais do que outros géneros de filmes, joga muito com o som. Não necessariamente com a banda sonora no sentido de músicas e coisas assim, mas sim no sentido de som de ambiente: o roçagar, o uivar do vento, o ranger dos tubos e do chão, o chiar das portas a abrir e a fechar, etc. Sem dúvida, que neste filme, foi fulcral para criar a ligação entre filme e espectador.


The Conjuring começa, nos anos 60, com os relatos de umas jovens sobre a boneca Annabelle e os seus estranhos comportamentos sobrenaturais – se estavam à espera de mais tempo de antena da boneca, têm que ver o filme Annabelle que saiu um ano depois, a contar a história exclusiva desta (e que eu também quero ver e haverá, na altura, crítica aqui no blog) – ao casal investigador de eventos sobrenaturais: Ed e Lorraine Warren.

Avançamos meia dúzia de anos e estamos, finalmente, na altura em que se passa o enredo principal deste filme: anos 70. A família Perron muda-se para uma casa velha que conseguiu comprar num leilão do banco e coisas estranhas começam a acontecer – não vou avançar mais nesse aspecto porque acho que é importante seguir a estória vendo o filme. Mas deparando-se com acontecimentos assustadores, que não conseguem explicar, Carolyne e Roger Perron decidem assistir a uma conferência dada pelo casal perito em coisas sobrenaturais e pedir para os ajudar. Se até aqui já tinham acontecido situações arrepiantes, é neste momento que o filme ganha uma intensidade violenta – tanto num aspecto mais psicológico como físico.


Fui surpreendida com este filme, não estava à espera que me afectasse da forma como afectou o que, para mim, é sinal de que atingiu o seu objectivo. Conseguiu deixar-me ansiosa, assustada e com os níveis de adrenalina provocados pelo medo muito acima do normal. Sem dúvida, um dos poucos filmes de terror que recomendo.


4 comentários:

  1. Olá,
    Não sou muito dada a filmes de terror confesso, já gostei mais, mas recordo-me que já vi este acompanhada o que não me fez sentir grande medo, ahaha.
    Não me recordo de grandes pormenores do filme, mas lembro-me de que na altura até que gostei do filme.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Raramente vejo filmes de terror acompanhada, poucas são as pessoas com quem me dou que gostam e quando tenho alguém que se preze a fazer-me companhia, é a fazer frete (e fazem o favor de dar bem a entender) e isso é coisa que mais me enerva. Por isso, maioria das vezes vejo sozinha...

      Para este, tive a excelente ideia de o ver durante a madrugada e com tudo bem escurinho, o que torna o filme bem mais impactante... Por exemplo, a cena do gif que coloquei na crítica é possivelmente um dos meus maiores medos irracionais, a partir desse ponto já estava com os nervos à flor da pele xD

      -- Carla

      Eliminar
  2. Olá
    Este foi um dos melhores filmes de terror que já vi, com pés e cabeça e que conseguiu assustar um pouco.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo. Achei o filme muito bem conseguido e foi dos poucos que me deixou assustada ao vê-lo, isso, para mim, já é dizer muito porque não sou muito impressionável e raramente me assusto.

      - Carla

      Eliminar

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.