cro

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Especial Halloween | TOP 3 - Filmes de Terror


Hoje temos uma publicação especial dentro da temática do mês de Outubro. Desta vez temos um TOP 3 dedicado a filmes de terror! UUUH!! Fiquei eu encarregue deste TOP uma vez que a Joana não gosta de filmes de terror e eu estou constantemente a dizer que é o meu género favorito. O que é irónico porque possivelmente consigo contar com os dedos de uma mão (e ainda me sobram dedos) os bons filmes de terror. E quando digo bons filmes de terror refiro-me àqueles que são intensos, que assustam e/ou afectam de alguma forma. E foi com isso em mente que criei este TOP 3.

Acho que os filmes de terror já caíram na monotonia. Grande parte dos filmes recentes são à volta de fantasmas, espíritos - e até aqui tudo bem, há bons filmes de espíritos (irão ver nas minhas escolhas), mas o problema é que se tornaram tão banais que são sempre a mesma coisa: com os mesmos tropos cinematográficos, o mesmo alinhamento, a mesma história.



Há muitos anos que costumo dizer que minha saga favorita de filmes de terror é Saw, mas recentemente mudei de opinião. Não que The Conjuring (James Wan, 2013) seja uma saga, mas conseguiu ultrapassar qualquer filme Saw na minha classificação. Curiosamente, este filme e o primeiro da saga Saw têm o mesmo realizador. Vi The Conjuring recentemente (e podem encontrar a crítica aqui) e fiquei tão positivamente surpreendida que entrou, sem dificuldade, para um dos meus filmes de terror favoritos. Há muito tempo que não me assustava e era afectada da forma que foi por um filme de terror. E como podem ver é um filme que anda à volta de espíritos. Tem alguns tropos comuns, cenas cliché, mas está bem conjugado, aliando aqueles pontos chave de um filme de terror com algum drama e novidade.  


Depois do que acabei de dizer, o segundo lugar deste TOP era um pouco óbvio. A saga Saw (vários realizadores, 2004-2010). Poderia escolher apenas um filme da saga, mas, para mim, ela funciona como um todo. Tenho que admitir que ainda não vi o último filme, mas não é por isso que deixo de considerar esta saga uma das minha favoritas. Neste caso temos um tipo de filme de terror bastante diferente de The Conjuring. Em vez de um filme que está ligado aos espíritos e/ou ao sobrenatural, temos algo mais "real", se assim podemos chamar. Não há fantasmas, não há nada do outro mundo, "apenas" um homem com uma mente muito retorcida que pensa que tem uma missão maior e que, por isso, tem o direito de torturar e matar pessoas que estão longe, a seu ver, de serem inocentes. Saw é um filme de gore, ou seja, que joga mais no visual violento, no sangue, tripas, morte - coisas "nojentas" explicitas.


Quanto ao terceiro lugar neste TOP, não foi fácil. E não foi por haver várias possibilidades que poderia adicionar, mas sim porque poucas - ou nenhumas - me pareciam suficientemente boas para considerar no TOP 3 de melhores filmes de terror. No entanto, tinha que escolher um e decidi apostar num clássico. Das Cabinet des Dr. Caligari (Robert Wiene, 1920) é, sem sombra de dúvida, um dos meus filmes favoritos da era do cinema mudo e entra nesta categoria de terror. Quem conhece o filme (ou se cuscarem imagens) conseguem ver algumas semelhanças entre o Cesare (a figura humanoide) e Edward de Edward Scissorhands, e a verdade é que foi, de facto, uma inspiração para esta figura (e não é à toa que ambos enquadram na categoria de "favoritos"). Mas voltando ao Caligari... Vi este filme numa cadeira da faculdade, anos depois de andar constantemente a dizer que gostava de ver o filme e deve ter sido das poucas memórias boas que o professor desta cadeira deixou em mim. É um filme do expressionismo alemão (convenhamos que fizeram grandes filmes na época!), que a par com Nesferatu (realizado 2 anos depois), cria o "terror" pelo jogo de luz e sombra e pelas expressões grotescas das personagens.

E vocês, gostam de filmes de terror? Qual é o vosso TOP 3 desta categoria? :)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.