cro

domingo, 7 de fevereiro de 2016

[Filme] Carol, de Todd Haynes

 Ler em Português      Read in English


Título em Português: Carol
Realização: Todd Haynes
Argumento: Phyllis Nagy, Patricia Highsmith (livro)
Elenco Principal: Cate Blanchett, Rooney Mara, Sarah Paulson
Ano: 2015 | Duração: 1h58min
Sinopse:
Em Nova Iorque, no início da década de 1950, Therese Belivet (Rooney Mara) trabalha numa loja em Manhattan e sonha com uma vida mais gratificante quando conhece Carol Aird (Cate Blanchett), uma mulher sedutora presa a um casamento fracassado. Uma ligação surge entre ambas, levando a que a inocência do primeiro encontro dê lugar a uma relação profunda. Quando o envolvimento de Carol com Therese se torna público, o marido de Carol, Harge Aird (Kyle Chandler) retalia, pondo em causa a sua competência como mãe. Com Carol e Therese a fazerem-se à estrada, deixando para trás as suas respectivas vidas, um confronto vai colocar à prova as convicções de cada mulher sobre si mesma e o compromisso para com a outra. Carol baseia-se no romance de Patricia Highsmith.

Opinião:
Tinha altas expectativas para este filme, e talvez isso explique o porquê da minha classificação final.

Carol é um filme um pouco parado – ou devo dizer um pouco parado demais para o meu gosto. As cenas que vemos no trailer são as mais mexidas e as mais interessantes, com excepção talvez de uma ou outra cena.

Cate Blanchett e Rooney Mara estão muito bem neste filme, um filme que mostra a dificuldade que é fazermos decisões na nossa vida um filme sobre felicidade, a nossa felicidade e a daqueles que amamos acima de tudo. Essa foi a minha parte favorita do filme, porque mostra uma realidade difícil e acaba por nos fazer ver que se não somos felizes não conseguimos fazer ninguém feliz.

Kyle Chandler também esteve muito bem, como Harge Aird, marido de Carol Aird (Cate Blanchett). Mostrou o lado masculino de forma bastante expressiva e interpretativa, revelando que todas as decisões têm um valor não só para os que fazem mas todos os que estão envolvidos nessas mesmas decisões.

Cate Blanchett exibe a beleza do guarda-roupa do filme, como sempre, e este é muito elegante e mostra o glamour dos anos 50, em comparação com o de Rooney Mara, que mostra o estilo mais comum da população americana da época.

Apesar de tudo, o filme acabou por não ser tão bom quanto o esperado, principalmente porque acaba por não acontecer muita coisa. É um bom filme, mas não me prendeu a atenção tanto quanto o desejado.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.