cro

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

[Livro] City of Fae, de Pippa DaCosta


Título Original: City of Fae
Título em Português: --
Série: --
Autor(a): Pippa DaCosta
Editora: Bloomsbury Spark
Páginas: 336
Data de Publicação: 7 de Maio de 2015

Sinopse:
From the moment Alina touches London's hottest fae superstar, breaking one of the laws founded to protect all of her kind, her fate – and the fae – close in. Below ground, the fae High Queen plots to claim the city as her own and places her pawns, ready for the battle to come. A battle she cannot lose, but for one small problem – Alina. There are four ancient keepers powerful enough to keep the queen in her prison. Three are dead. One remains … And to fight back, Alina risks sacrificing everything she has come to love.

Opinião:
Este foi mais um livro inserido no desafio Fae. Desta vez, os fae vivem em Londres, e revelaram-se aos humanos em '74 (não temos mais datas que isto).

Alina O'Connor é a nossa personagem principal, juntamente com Sovereign (Reign) e a Rainha. Os seres humanos vivem com a Trinity Law em mente: "Look but don't touch. Touch, but don't feel. Feel but don't love". Esta lei permitiria ao ser humano que nunca fosse enfeitiçado por um fae. Alina sabe isto, mas quando conhece Reign, toda a cautela vai por água abaixo. Isto dito assim faz com que o livro pareça uma história de amor um bocado fatela entre uma humana e um fae, certo? Foi o que pensei....durante os primeiros capítulos.

Não vou contar muito da história porque senão estrago o livro para quem o queira ler. Apenas digo que seres ancestrais estão envolvidos numa luta para proteger a humanidade e nada é bem o que parece, como somos avisados desde o início do livro.

Este livro terá continuação e tenho a sensação que o segundo livro será melhor que o primeiro.

Achei a escrita da autora minimamente agradável, com momentos mais rápidos quando se tratava de desenvolver a história (apesar de achar que deveria ter havido mais algum elucidar sobre os temas do livro, a polícia fae, as leis, o que acontecia quando a energia vital de um humano era tirada sem autorização, entre outras coisas), e mais lentos quando estávamos a aprender algo sobre as personagens, o que me pareceu indicado.

Resumindo, o livro teve algumas falhas para mim, precisa de algo mais para me prender verdadeiramente mas, apesar de tudo, foi uma leitura minimamente agradável.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.