cro

domingo, 22 de março de 2015

[Filme] Song of the Sea, de Tomm Moore


Título Original: Song of the Sea
Título em Português: --
Realização: Tomm Moore
Argumento: Will Collins, Tomm Moore (story)
Elenco Principal: Lucy O'Connell, Colm Ó'Snodaigh e Liam Hourican
Ano: 2014 | Duração: 93 mins

Sinopse:
Ben e Saoirse são duas crianças que vivem à beira do mar numa cabana com o seu pai, que permanece perdido no tempo desde a morte da sua mulher, mãe de Ben e Saoirse, uns anos antes. Apesar de Ben estar bem consciente da responsabilidade que implica ser ele o irmão mais velho, continua a sentir-se frustrado perante Saoirse, que com os seus 6 anos, ainda não pronuncia uma única e simples palavra. Um certo dia, a menina descobre uma flauta de concha que pertencia à sua mãe. Rapidamente começa a improvisar música que se transforma não só num meio de comunicação, mas sobretudo na chave que abre um segredo mágico que ficara esquecido no passado remoto da sua mãe.

Opinião:
Depois de um fim de semana enterrada nos livros – a estudar para os testes da próxima semana, embrenhada no relatório do estágio e mais uma miscelânea de coisas relacionadas com a faculdade – decidi pôr tudo de parte e ver um filme. Escolhi o Song of the Sea, porque há muito que estava na minha watchlist. E bem dita a hora que o fiz.

Song of the Sea é possivelmente o filme mais bonito que alguma vez vi. É um filme de animação em que acompanhamos a história de dois irmãos, Ben e Saoirse, desde que perderam a mãe. O filme está repleto de magia, história e mitologia irlandesa.

Para começar, este filme entrou para a minha watchlist não só porque esteve nomeado para os óscares, na categoria de animação, mas também porque envolvia o mar. Eu e o mar temos uma relação que pode não parecer muito forte, para quem está de fora, mas o mar é possivelmente o meu lugar favorito do mundo. Odeio areia, odeio multidões, e daí dizer que não gosto de ir à praia, mas estar junto ao mar tranquiliza-me, faz-me sentir melhor, faz-me pensar com clareza. Tenho pena tremenda de não ter possibilidade de estar próxima do mar. A água é o meu elemento.

E como disse, para além de ter uma bela história, o filme é incrivelmente belo em termos de imagem. Fiquei agarrada não só ao que estava acontecer, à magia de toda a mitologia irlandesa presente neste filme, mas também à animação. Este filme, na minha singela opinião, é uma verdadeira obra de arte visual. Aparentemente básico e simples, é um filme perfeito com uma banda sonora extraordinariamente agradável que encaixa com a atmosfera do filme e com o mito em si que nem uma luva.

Sinceramente, não consigo dizer mais que “é um filme belo”. Não faz justiça ao que senti ao ver este filme, parece pouco para a forma como me tocou, mas é isso. Adorei-o. Saoirse é possivelmente a menina-boneca mais bonita que vi e é a coisinha mais adorável de sempre, tanto em menina humana como em foca.



Sem comentários:

Enviar um comentário

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.