cro

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

[Filme] Birdman, de Alejandro González Iñárritu


Título Original: Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance)
Título em Português: Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)
Realização: Alejandro González Iñárritu
Argumento: Alejandro González Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris, Armando Bo
Elenco Principal: Amy Ryan, Edward Norton, Emma Stone, Michael Keaton, Naomi Watts, Zach Galifianakis
Ano: 2014 | Duração: 119 mins

Sinopse:
Uma comédia de humor negro que conta a história de um ator, famoso por ter interpretado um super-herói icónico, e que agora planeia montar uma peça de teatro numa tentativa de recuperar os seus tempos de glória. Nos dias que antecedem a noite de abertura, o ator - Riggan Thomson - luta contra o seu ego e tenta recuperar a sua família, a sua carreira, e a si próprio.

Opinião:
Birdman está nomeado para 9 Óscares: Melhor Filme, Melhor Actor Principal, Melhor Actor Secundário, Melhor Actriz Secundária, Melhor Cinematografia, Melhor Realizador, Melhor Edição de Som, Melhor Mistura de Som e Melhor Argumento Original.

Para dizer a verdade, nem sei o que dizer em relação a este filme. Definitivamente o trabalho de actor – quer estejamos a falar de Michael Keaton, Edward Norton, Emma Stone ou qualquer outro – é soberbo, disso não tiro o crédito, mas achei o filme em si pobre. Alguns temas abordados no filme são interessantes, mas há demasiadas cenas repetitivas, o que, de certa forma, torna o filme desinteressante. Fiquei desiludida com o filme e achei algumas partes bastante aborrecidas.

Se este filme ganha algum Óscar como Melhor Filme ou Melhor Argumento Original vou ficar terrivelmente chateada, porque não acho que seja justo. Parece-me um daqueles filmes que tenta demasiado parecer mais do que aquilo que é. É uma comédia de humor negro que pode até ser algo interessante, mas parece-me um filme demasiado pretensioso. Quer ser mais do que aquilo que realmente é.

Não consegui criar qualquer tipo de empatia em relação a nenhuma das personagens. Não consegui, de todo, ligar-me ao filme, senti que me passou completamente ao lado. Não porque não estivesse com atenção, mas porque não houve conecção. Possivelmente, o que melhor retive do filme foi a constante repetição de uma sequência de bateria que se ouvia em determinados momentos do filme. Que, diga-se, é terrivelmente pouco para um filme nomeado para Melhor Filme ou Melhor Argumento Original, em particular. São duas horas que não atingem os mínimos para satisfazer nem no sentido de enterternimento nem no sentido de “food for thought”. Assim que terminei de ver o filme, o que senti foi… vazio, porque não me deu nada em troca.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.