cro

quinta-feira, 5 de maio de 2016

[Filme] Um dia de Mãe, de Garry Marshall

 Ler em Português      Read in English


Título em Português: Um Dia de Mãe
Realização: Garry Marshall
Argumento: Tom Hines, Lily Hollander, Anya Kochoff and Matthew Walker
Elenco Principal: Jennifer Aniston, Kate Hudson, Julia Roberts
Ano: 2016 | Duração: 1h58min
Sinopse:
Com o aproximar da celebração de mais um dia da mãe, várias mulheres vão ter de reflectir sobre o peso da maternidade. Sandy é a mãe solteira de dois rapazes que luta por se manter de pé e que ainda não superou o facto de ter sido trocada por uma mulher mais jovem; Miranda é uma escritora famosa que hoje se arrepende de ter dado a sua filha Kristin para adopção; Kristin – hoje uma mulher prestes a constituir a sua própria família –, decide que é chegado o momento de reencontrar a progenitora e fazer as pazes com o passado; Jesse, a melhor amiga de Kristin, ao perceber as suas angústias, dá-se conta do quão distante se sente da sua própria mãe e o quanto deseja fortalecer os laços. Estas mulheres, de personalidades distintas, vão ver os seus destinos cruzarem-se de um modo totalmente inesperado…

Opinião:
Este é um filme ideal para irmos ver com as nossas mães (ou figuras maternais). É uma comédia romântica, com alguns clichés a que já estamos habituados, mas isso não torna o filme maçador.

Gosto muito de filmes que interligam as histórias das várias personagens, como neste filme: Sandy (Jennifer Aniston), é amiga de Jesse (Kate Hudson), que é amiga de Kristin (Britt Robertson), que é filha da Miranda (Julia Roberts), enfim, estão a perceber o que quero dizer. Foi um filme divertido, que entrelaçou várias gerações e vários tipos de mãe, desde a mais presente à mais distante, da mais picuinhas à mais protectora.

O filme faz exactamente aquilo a que se propunha fazer, na sinopse e no trailer (apesar deste mostrar as cenas mais giras do filme, contando quase tudo, o que é um contra), mostrando a relação entre filhxs e mães, as dificuldades pelas quais esta pode passar, mas o poder e valor que a relação tem se as pessoas envolvidas quiserem lutar por ela.

Resumindo, gostei bastante, foi divertido e romântico, com a dose ideal de clichés. Não é um filme extraordinário, daqueles que ficam para a história, mas é um filme giro e daqueles que depois de vermos dizemos, honestamente, que gostámos e que foi um tempo bem passado, especialmente se for visto com a nossa mãe :)


Sem comentários:

Enviar um comentário

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.