cro

domingo, 23 de agosto de 2015

[TAG] No País das Maravilhas


Fomos nomeadas pelo Ludgero (há já bastante tempo... Sorry!!) para respondermos à TAG "No País das Maravilhas", como podem reparar tem ligações à obra de Lewis Carroll, "Alice no País das Maravilhas". Temos que responder às questões, apenas com a regra de que não podemos repetir livros. Aqui vamos nós.

1 - Alice: Um livro que te fez cair num mundo completamente diferente.



Carla: Escolhi um livro que li recentemente e foi das melhores descobertas do ano. Prophecies Awakening (Legends of Marithia #1), de Peter Koevari. Uma escrita incrível que nos faz mergulhar num mundo fantástico/medieval onde Humanos, Elfos, Dragões e um monte de outras criaturas convivem no mesmo mundo. Podem ver a minha opinião deste livro aqui.
Joana: Também escolhi um livro que li recentemente e cuja colecção estou a gostar bastante: Sword of Darkness (Lords of Avalon #1), de Sherrilyn Kenyon (a escrever como Kinley Macgregor), é um livro que me levou para um mundo de cavaleiros, dragões, bruxas e feiticeiros, entre outros seres. Podem ler a crítica do livro aqui.

2 - Chapeleiro Louco: Um livro com um protagonista louco.


Carla: Esta foi, sem dúvida, a questão mais difícil de responder. Andei a remoer a minha memória (com ajuda do Goodreads) e O Perfume - História de um Assassino, de Patrick Süskind é o único título que me parece enquadrar nesta pergunta. Eu gostei imenso deste livro e fez-me imensa confusão lê-lo, devido à forma como me afectou. O rating que dei não faz muito jus ao mérito do livro, mas em parte deveu-se ao facto de que tive que parar de ler várias vezes porque ficava nauseada. Mas vendo as coisas com uma certa perspectiva, se tal aconteceu devia ser um ponto positivo e não negativo, uma vez que conseguiu por palavras pôr-me a sentir todos aqueles cheiros - os bons e os maus.
Joana: Como a Carla disse, foi a questão mais difícil de responder. O único livro cuja protagonista (e a história diga-se) se poderá enquandrar minimamente neste tópico é o No país das últimas coisas, do Paul Auster. Tive de ler este livro duas vezes (e se virem a minha estante do Goodreads verão que até tem três estrelas) mas se tivesse escolha provavelmente não o voltava a ler. Foi um livro forte, ainda que curto, mas que mexe um bocado com a nossa cabeça e a nossa percepção do mundo. Anna Blume é uma protagonista que, se não pode ser chamada de louca, então tem problemas mentais criados pelo próprio sítio onde vive e por tudo aquilo porque passa.

3 - Coelho Branco: Um livro que te atrasou a leitura.


Carla: Vou escolher The Catcher in the Rye, de J.D. Salinger. Estive com este livro entre mãos durante imenso tempo. Remoi e volei a remoer, não sabendo o que fazer porque não queria deixar o livro por terminar e também porque é considerado um clássico. Não consegui. Tive que desistir... possivelmente das leituras mais atrozes que tive que suportar. Podem ver a minha opinião deste livro aqui.
Joana: Half Bad: Entre o bem e o mal, de Sally Green. Comecei este livro o ano passado, pouco depois de o ter comprado. Tudo indicava que seria um livro que me prenderia do início ao fim...ao fim de dois capítulos pus o livro de lado. Ainda tentei pegar nele novamente no início do ano mas não resultou. Ainda tenho esperanças que consiga pegar nele novamente e que descubra o porquê de tanta gente gostar do livro.

4 - Gato: Um livro que te fez rir muito.


Carla: Seriously... I'm Kidding, de Ellen DeGeneres. Não sabia bem o que responder a esta até me lembrar que li os livros da Ellen. Não é que sejam a comédia em livro, mas deu para ter acesso à ironia e ao sarcasmo tipico da Ellen e tem muitas passagens divertidas e engraçadas. Estava indecisa qual deles era o mais divertido, uma vez que também já os li há uns aninhos, decidi colocar o mais recente.
Joana: Knight of Darkness, de Sherrilyn Kenyon (a escrever como Kinley Macgregor). Acabei este livro à muito pouco tempo e a ironia, sarcasmo e cumplicidade entre as personagens fez-me rir várias vezes.

5 - Lagarta Azul: Um livro que te fez refletir.


Carla: This Star Won't Go Out: The Life and Words of Esther Grace Earl. Conheci a Esther já depois de ela ter falecido e a quando da leitura do The Fault in Ous Stars. A partir desse momento decidi que gostaria de ler este livro assim que saísse. É uma míuda que nos seus tenros dezasseis anos nos mostra o pouco valor que damos à vida e às pequenas coisas. A felicidade está nas pequenas coisas, e que devemos dizer o quanto gostamos das pessoas que nos rodeam porque um dia pode ser tarde de mais. Apreciar a vida.
Joana: The Fault in Our Stars, de John Green. Acho que este livro dispensa grandes apresentações. Direi apenas que me fez chorar bastante e que nos faz dar um verdadeiro valor à vida que temos.

6 - Tweedledee e Tweedledum: dois livros que são parecidos.




Carla: Academia de Vampiros (Vampire Academy #1), de Richelle Mead e Marcada (House of Night #1), de P.C. Cast e Kristin Cast. É um ultraje fazer esta comparação porque adorei a saga Academia de Vampiros (excepto os dois últimos que me pareceram mais fracos) enquanto que a saga House of Night é terrível. Escritores que metem "(hehehe)" por parte de descrição de uma cena - mesmo que seja na primeira pessoa - não merecem a minha consideração. No entanto, têm muitas semelhanças no enredo: rapariga principal, escola, vampiros. Vamos dizer que A Casa da Noite é uma versão muito fraca de Academia de Vampiros.
Joana: Jardim de Alfazema e Amor Verdadeiro, de Jude Devraux. Dois livros que gostei muito. Dois livros da mesma autora. Dois livros de séries diferentes. Dois livros tão parecidos que mereceram até uma tabela de comparações na minha crítica aqui. Mas de qualquer maneira, recomendo os dois.

7 - Rainha de Copas: Um livro cujo o autor adora matar as personagens.


Carla: A minha resposta é... eu. haha Tenho um prazer especial em matar personagens e fazer as outras sofrer e a Joana que o diga. Sempre que começa a gostar de uma personagem pergunta-me sempre se tenho intenções de a vir a matar no futuro, como é costume. Mas visto que eu não sou uma autora publicada (nem autora não-publicada, sequer) escolhi Harry Potter and the Deathly Hallows, de J.K. Rowling porque não tenho lido muitos livros em que haja mortes e foi a primeira coisa que me veio à cabeça.
Joana: Não querendo repetir a autora que a Carla escolheu, que também foi a primeira em quem pensei, decidi olhar melhor para a minha estante e escolhi a Charlaine Harris. Quem leu a série do Sangue Fresco sabe do que falo.


Obrigada Ludgero pela nomeação. E vamos nomear todos aqueles que acharem piada a esta TAG e queiram responder :)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.