cro

sexta-feira, 31 de julho de 2015

[Filme] Home, de Tim Johnson


Título Original: Home
Título em Português: Home: A Minha Casa
Realização: Tim Johnson
Argumento: Tom J. Astle & Matt Ember (screenplay), Adam Rex (book "The True Meaning of Smekday")
Elenco Principal: Jim Parsons, Rihanna, Steve Martin
Ano: 2015 | Duração: 94 mins

Sinopse:
Quando a Terra é invadida pelos excessivamente confiantes Boov, uma raça alienígena em busca de um novo local ao qual chamar Lar, todos os humanos são prontamente realocados enquanto os Boov se atarefam com a reorganização do planeta. Mas quando Tip, uma miuda cheia de recursos, consegue escapar escapar à captura, ela dá consigo como cúmplice acidental de um Boov banido chamado Oh. Os dois fugitivos apercebem-se que há muito mais em jogo do que do que o relacionamento intergalático e embarcam na viagem das suas vidas.

Opinião:
Esta vai ser uma crítica pequenina porque devido à preguicite da minha pessoa deixei passar demasiado tempo desde que vi o filme e este momento em que estou à frente do computador a escrever este post.

Confesso que uma das razões pela qual fiquei com interesse de ver este filme é o facto de Jim Parson dar voz a Oh, porque de outra forma acho que me teria passar ao lado.

Em Home seguimos as peripécias de Oh, um extraterrestre muito desastrado, divertido e um bocadinho doidinho. Os Boov – raça da qual pretence Oh – são uns aliens muito medrosos e a solução deles para qualquer problema é fugir. E é por essa razão que acabam por invadir a Terra. Deslocam os humanos todos para umas cidades improvisadas e ocupam as casas dos habitantes deste nosso querido planeta. Eles estão a fugir de uma outra raça alien que os persegue por algum motivo (que é revelado perto do final, mas não vou dizer nada em relação a isso – vejam o filme!)

Sem querer, Oh envia um convite por todo o Universo revelando que os Boov estão escondidos na Terra e por isso é banido da sua própria comunidade, e nessa altura que conhece Tip, uma miúda humana que quer encontrar a mãe.

O filme é visualmente muito cheio. Muita cor, muito pormenor na execução técnica, momentos divertidos, mas também tensos e com bastante significado. O pormenor incrível do cabelo de Tip, dos olhos, das sardas é do outro mundo. Um filme muito bonito que nos mostra o valor da amizade entre um Boov e uma Humana. É um filme que vale por isso. Há muita gargalhada, alguns momentos que puxam a lágrima, mas que entretém e nos deixa satisfeitos no final.

Home não é dos melhores filmes de animação que tenha visto nos últimos tempos – de longe – mas bom o suficiente para ocupar pouco mais de hora e meia do nosso dia e nos deixar com um sorriso nos lábios por um bom momento passado.


2 comentários:

  1. Oi Carla, tudo bem? :)
    Eu gostei muito desse filme, para mim foi muito bom mesmo e eu chorei até kakakaka juro!
    Beijinhos
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gostei do filme e parte do meu interesse, como disse, deve-se ao Jim Parsons e ao facto de ter tanta cor e achar o Oh muito engraçado nos trailers. Não sei se por expectativas elevadas, mas não me satisfez na totalidade. Achei algo fraquito, mas ao mesmo tempo bom o suficiente para me fazer sentir tanta coisa durante o pouco tempo do filme. x) E sim, há uma parte que já estava com a lágrima no canto do olho.

      -- Carla

      Eliminar

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.