cro

domingo, 19 de julho de 2015

[Filme] Inside Out, de Pete Docter e Ronaldo Del Carmen


Título Original: Inside Out
Título em Português: Divertida-mente
Realização: Pete Docter e Ronaldo Del Carmen
Argumento: Pete Docter (story and screeplay), Ronaldo Del Carmen (story), Meg LeFauve (screenplay) e Josh Cooley (screenplay)
Elenco Principal:Amy Poehler, Bill Hader, Lewis Black
Ano: 2015 | Duração: 94min

Sinopse:
Como todos nós, a Riley é guiada pelas emoções – a Alegria, o Medo, o Raiva, a Repulsa e a Tristeza. As emoções vivem no Quartel-General, o centro de controlo no interior da mente da Riley, onde lhe dão conselhos para a vida quotidiana. À medida que a Riley e as suas emoções lutam por se adaptarem à nova vida em São Francisco, gera-se a confusão no Headquarters. Apesar da Joy, a principal e mais importante emoção de Riley, tentar manter o pensamento positivo, as emoções entram em conflito sobre como melhor se deslocar pela nova cidade, casa e escola.

Opinião:
Devo começar por dizer que fui ver este filme com expectativas muito altas e isso influenciou bastante a minha classificação final.

Inside Out leva-nos à cabeça de Riley, uma jovem que vai mudar de casa e que se sente um bocado perdida com as mudanças. Foi muito interessante ver o que se passa dentro da nossa cabeça, o porquê de ficarmos com músicas irritantes tantas horas ou de ficarmos tristes de repente. Mostra o crescimento de Riley e como ela lida com tudo o que interfere na sua vida, mostra também como os pais se podem sentir perdidos, como temos de alimentar aquilo de bom que temos dentro de nós, a ilha da família, a ilha da amizade, a ilha da brincadeira, a ilha do hóquei (no caso da Riley), etc.

A Pixar, como sempre, trouxe-nos imagens fantásticas, levou-nos a momentos inesquecíveis da nossa infância, despertou em nós aquele carinho por alguém que se sente perdido – e não estou só a falar da Riley. As cores deste filme preenchem as nossas medidas, como um arco-íris que ilumina todo o filme e que mostra que precisamos de mais que uma ou duas cores para fazer este arco-íris.

Gostei de ver o interior de cada uma das personagens e a sua evolução, a maneira como o ser humano dá valor ao que tem, ainda que isso muitas vezes só aconteça quando o perdemos, mas o que mais gostei neste filme foi mesmo a mensagem que trouxe: todos temos um papel importante, todos temos valor, todos somos precisos, todos fazemos falta. Sem excepção.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.