cro

sábado, 10 de setembro de 2016

[Livro] Dressed to Kiss, de Madeline Hunter, Caroline Linden, Megan Frampton e Myretta Robens

 Ler em Português      Read in English


Título em Português:--
Série:--
Autor(a): Madeline Hunter, Caroline Linden, Megan Frampton, Myretta Robens
Editora: Amazon Digital Services
Páginas: 370
Data de Publicação: 12 de Setembro de 2016


Sinopse:
True love never goes out of style….
Once renowned for creating the most envied gowns in London, Madame Follette’s dressmaking shop has fallen far out of fashion. The approaching coronation of King George IV offers a chance to reclaim former glory by supplying stunning new wardrobes to the most glittering society in Regency England. In the face of long-held secrets, looming scandals, and the potential ruin of their shop, the dressmakers of Follette’s are undaunted, not even by the most unexpected complication of all: true love..
~ Recebemos este livro directamente da autora Madeline Hunter. Obrigada! ~


Opinião:
Este livro é uma antologia que contém quatro histórias, todas interligadas pela loja Follete’s. Vou comentar cada uma das histórias e depois reuni-las como um todo.

Primeiro que tudo, devo dizer que destas quatro autoras, só conhecia a Madeline Hunter (e esta é daquelas autoras que não tenho qualquer problema em comprar o livro, mesmo sem sequer ler a sinopse), e foi através dela que tive acesso a este livro para dar a minha opinião.

A primeira história é, então da autoria de Madeline Hunter, e centra-se em duas personagens-chave: o Duque de Barrowmore e Selina Fontaine, uma das modistas da Follete’s. Selina já tem alguma história passada ligada ao Duque e quando ele entra na loja onde ela trabalha, a primeira coisa que acontece é ela ter medo de ele a denunciar como uma senhora da pequena nobreza, que tinha praticamente sido abandonada pelo quase noivo. Como podem imaginar, as histórias não são muito longas por isso eu não me vou demorar muito no seu enredo ou corro o risco de contar tudo aqui. É um romance bonito que se vê começar aqui e, como sempre, a escrita de Madeline Hunter envolve-nos numa atmosfera propícia a um tempo bem passado com uma das suas histórias. Foi uma das minhas histórias favoritas da antologia. (3.75*)

A segunda história, da autoria de Myretta Robens, foi talvez a minha favorita por ser diferente daquilo que estou mais habituada – não no facto de ser na mesma um romance da regência que acaba bem, mas antes por mostrar uma maneira diferente de como as duas personagens principais, Delyth Owen e Simon Merrithew se conhecerem, entre outros pormenores. Delyth é a mais recente modista na loja da Follete’s e o seu estilo é, no mínimo, irreverente. Não quer isto dizer que a jovem tenha um mau sentido de estilo ou seja quase cruel com as suas clientes (no sentido de as vestir mal de modo a serem gozadas), como Simon inicialmente pensa. Gostei bastante de ver a mudança de Simon e como ele, e por conseguinte o leitor, compreende o amor de Delyth por moda e cores, e acaba por se apaixonar pela personagem de Delyth e pela paixão que ela tem pela própria vida. Acho que foi isso que mais me agradou na história, teve tanta vida, tanta cor, tanto...tanto! E em tão poucas páginas. (4*)

A terceira história, de Megan Frampton, acabou por ser a mais fraca na minha opinião. Não que não tenha sido amorosa (talvez até possa ser considerada a mais amorosa de todas), mas para mim faltou um pouco de credibilidade às personagens, o que me fez sentir um pouco distante do que se passava entre elas. Apesar disso gostei do Henry Dawlkins, filho da dona, Madame Follete, e irmão da Felicity Dawkins, a actual gerente da loja, a imagem me foi transmitida foi a de um ursinho fofinho, tímido e gigante, que tinha medo de magoar alguém só por ser quem era. Katherine Grant, a personagem feminina principal, soube-me a pouco. Achei que não estava muito coerente com aquilo que a personagem mostrava no início ser e, novamente, acho que lhe faltou credibilidade. (3.25*)

A última história, é de Caroline Linden, e trata o romance de Felicity Dawkins e o Conde de Carmarthen. Felicity, que vamos vendo nas outras histórias também, pareceu-me mais interessante e com mais garra nas versões das outras autoras, o que é pena, pois elevou as minhas expectativas e estas não foram correspondidas inteiramente. Apesar disso, gostaria de mencionar que Felicity toma em mão os problemas que lhe vão aparecendo e consegue lidar com eles com facilidade, por mais difíceis que sejam. Sobre Carmathen há pouco a dizer, pois acho que ele podia ter sido muito mais desenvolvido e explorado, o que é pena. Contudo, foi uma boa história, mas deixou demasiadas “abertas” para o meu gosto, pois era aqui que esperava que várias conclusões fossem feitas, o que não aconteceu. (3.5*)

Ou seja, apesar de ter gostado bastante das histórias em geral, fiquei desapontada pois quero saber o que vai acontecer à Follete’s, depois das suas modistas casarem com Duques e Condes. Pois se Henry podia continuar a trabalhar como contabilista na Follete’s, e Delyth como modista, eu não tenho certezas se Katherine continua como dama de companhia ou passa a ser esposa e pouco mais, se Selina passa a ser Duquesa e se torna patrona da loja e não faz mais modelos, ou se continua a trabalhar lá de alguma maneira, ou se Felicity continua a gerir a loja mas agora a partir dos bastidores por ser Condessa, ou até se a sua mãe, a original dona e gerente da Follete’s volta a estar à frente e dar cara pela loja ou foi afastada de vez. São perguntas como estas que gostaria de ver respondidas mas que, tristemente, me deixaram a querer algo que nunca saberei.

Para finalizar, foi uma leitura que me deu gosto, cheia de romance e beleza, que mostrou os pontos de viragens de estilos e cores, e trouxe amor e carinho ao mundo da moda da época da regência.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Todxs são bem-vindxs a contribuir para este blog, mas apenas pedimos que o façam de forma respeitosa e coordenada.